Como priorizar a felicidade em 2020

Conheça as 3 razões que levam as pessoas a deixarem a felicidade em segundo plano e o que fazer para contorná-las

carnaval 2020 yoga do riso


Quer ser feliz, mas não escolhe a felicidade


Olha que curioso: uma pesquisa realizada nos EUA revelou que, quando perguntamos às pessoas sobre os seus principais objetivos na vida, a felicidade é o item mais lembrado.


Do mesmo jeito, quando questionadas se escolheriam a felicidade em detrimento de dinheiro, sucesso, fama, relacionamentos etc, a resposta quase sempre é positiva.


Maaaaas.... Em testes práticos realizados com o mesmo público, o resultado foi bem diferente. Cerca de 20% de diferença. Na hora "h", muita gente preferiu, por exemplo, o emprego mais "infeliz" porque pagava melhor, ou preferiu ter razão, mesmo deixando o amigo se sentir muito mal.


Com efeito, ficou demonstrado inclusive que se tivéssemos direito a fazer 3 pedidos ao Gênio da Lâmpada, apenas 6% de nós nos lembraríamos de pedir a tal da felicidade.


Seja escolhendo a comida que colocamos no prato, ou decidindo sobre o nosso emprego, por exemplo, pouca gente acaba escolhendo opções que contribuem para a felicidade. Apesar de afirmarmos que queremos alcançá-la. Mas...


Por que queremos a felicidade, mas não a priorizamos



Não priorizar a felicidade é um dos 7 "pecados" contra a felicidade segundo o Dr. Rajagopal Raghunathan, professor da disciplina Felicidade na Indian School of Business.


E ele explica que não priorizamos a felicidade por 3 principais razões:


1. Crenças negativas sobre a felicidade

2. Falta de uma definição concreta para a palavra felicidade

3. Influência do meio


1. Crenças negativas sobre a felicidade



Em particular, para o Dr. Rajagopal, muitos de nós temos três crenças negativas sobre a felicidade: que ela nos faz egoístas (sem querer compartilhar a alegria); que ela nos faz preguiçosos (sem motivação para fazer coisas diferentes); e que ela é passageira (pra que perseguir algo que vai passar?).


Mas, para ele, nenhuma dessas crenças é verdadeira.


Na verdade, pessoas felizes tendem a ser mais criativas, sair-se melhor no trabalho e na vida em comunidade. Elas ajudam mais os outros, mesmo quando não têm essa responsabilidade e doam mais para caridades, fazem trabalhos voluntários, etc.


Além disso, a felicidade só é passageira quando baseada em prazeres efêmeros. Mas pode ser muito duradoura quando se fundamenta em conexões profundas, contentamento, amor, desapego, gratidão e abundância (noção de que tudo está perfeito e é suficiente para si).


2. Falta de uma definição concreta para a palavra felicidade